Moda, fama, ego, dinheiro e confusão…

Posted in Moda, Reflexões e críticas with tags , , , on 15/03/2012 by Leo

Em um assunto não relacionado aos principais temas do blog:
Me intriga o fenômeno das web-celebridades. Essa possibilidade de fama parece que deturpou totalmente o foco da imensa maioria dos blogs, criando essa horda de blogueirinhos amantes do jabá e vazios de conteúdo. Isso acontece em todos os tipos de blog, mas sem dúvida os casos mais numerosos e exacerbados são em blogs de moda e beleza. Talvez seja porque a maioria das leitoras deste tipo de conteúdo é muito jovem e portanto facilmente manipulável, ou talvez quem tenha interesse em criar um blog destes temas tenha maior tendência ao egocentrismo… Como não tenho pretensão de realizar um estudo com relevância estatística nunca chegarei a definir o que criou essa situação, mas independente disto o que realmente me intriga é o comportamento da maioria dessas blogueiras, a dualidade e contradição no discurso que elas apresentam.
Cada vez mais essas meninas e mulheres se colocam como protagonistas (dizendo que o blog não é sobre moda ou beleza, é sobre estilo de vida HA); divulgando fotos, informações pessoais e publicando todo o tipo de baboseira sem qualquer critério. No entanto ao menor sinal de crítica elas se desesperam, se sentem ofendidas e escrevem longos textos sobre o quanto se decepcionam com a hostilidade da internet.
A primeira pergunta que eu faço a essas pessoas: Como alguém pode ter sequer a ilusão que é possível ser famosa, ter milhares de leitores, seguidores e em alguns casos até fã-clube (sério isso?) sem nenhum ônus? Não é óbvio que sempre haverá diferentes opiniões (pessoas que te amam, pessoas que te odeiam, pessoas que te acham irrelevante) e que isso vai aparecer na mesma proporção da sua notoriedade?
Outra coisa, será que essas moças já se perguntaram porque empresas e celebridades tem assessoria de imprensa e outros mecanismos para filtrar e direcionar o que é publicado a seu respeito? Quando você está lidando com milhares de pessoas que não te conhecem pessoalmente uma atitude ou palavra mal colocada tem muito mais peso do que entre amigos. E não se iludam garotas, porque leitores e fãs não são seus amigos. São seus clientes, o meio que irá te permitir ser famosa e ganhar dinheiro com publicidade.
Se não houvessem estratégia e maneiras de atingir esses objetivos não existiriam agências de publicidade e comunicação, por isso não adianta nada adotar essa atitude completamente amadora e depois culpar o mundo cruel pelo resultado desastroso. Faça sua escolha: se você quer ter um blog para se expressar livremente, postar tudo o que quiser e ficar feliz da vida e sem grandes chances de te encherem o saco abandone as parcerias, pare de ficar fazendo acordos de divulgação com outros blogs e sorteios e simplesmente desencane do número de acessos e seguidores. Agora, se o negócio é sério e você decididamente quer ser conhecida por milhões e tirar seu sustento dali faça sua lição de casa; defina seu posicionamento, crie seu conteúdo com critério e seriedade e se convença de uma vez por todas que o dinheiro e notoriedade são a recompensa pelo seu esforço, e não o amor e carinho dos leitores.
Ou pelo menos aceitem a situação e parem com esse mimimi de achar que todo mundo que não te ama te inveja e quer te destruir, porque saber aceitar críticas e até agressões com leveza e humor é de uma elegância imensamente superior a qualquer bolsa Chanel.

A polêmica KONY 2012 e algumas questões que me incomodam

Posted in Eu, eu mesma e Leonora, Mau Humor with tags , , , , , on 12/03/2012 by Leo

Não, este blog não morreu ainda. Só que esta que vos fala tem cada dia mais acreditado que nesses tempos de excesso de informação, é sempre melhor falar menos e melhor.
Assisti ao vídeo KONY 2012 e é claro que me emocionei (ao contrário de algumas pessoas muito mais ultra evoluídas que não se comoveram, já adotaram imediatamente a muito mais sábia atitude de questionamento) e não vou mentir, compartilhei na mesma hora e sem muito pensar. No mesmo dia já apareceu alguém na minha timeline mandando quem compartilhou o vídeo ir pra África construir casas para as criancinhas e deixar de ser hipócrita. Poucos dias depois, começaram a pipocar os inúmeros textos falando sobre tudo o que tem de errado com o vídeo, com a iniciativa, com a invisible children…
O primeiro ponto que me chamou a atenção, é que a base do questionamento de 9 entre 10 pessoas esclarecidas que não acreditam em qualquer coisa é a porcentagem do dinheiro que a organização gasta com a produção e divulgação de vídeos. Por um lado acho válido questionar se isso realmente é uma coisa que vai ajudar efetivamente os envolvidos no problema, por outro me pareceu que a IC deixa bem claro que está focada na conscientização e esses dados só provam que eles realmente estão focados nisso.
Outra coisa que me impressionou foi que parecia que muitos dos textos questionando o vídeo eram cópias idênticas uns dos outros, e alguns pareciam realmente ter sido escritos por alguém que nem assistiu o vídeo.Então pensei: não é possível que seja mesmo só esse o motivo de tanta revolta. E continuei indo atrás de informação.
Enfim cheguei a questões mais importantes, como a simplificação excessiva da questão (que embora seja incômoda é esperada), e (para mim o grande erro do KONY 2012) a vitimização dos cidadãos e dos governos envolvidos e um enfoque totalmente maniqueísta e ultrapassado que coloca os americanos como salvadores de um povo indefeso. Como brasileira (cidadã de um país dito terceiro mundo e problemático) posso, guardadas as devidas proporções, entender como se sentem as pessoas que se vêm assim retratadas. É tipo a conversa de internacionalizar a Amazonia pra preservá-la.
Não vou entrar nos detalhes dissecando dados e fazendo uma colcha de retalhos de citações, mas penso que se por um lado a Invisible Children fez um grande trabalho ao trazer essa realidade aos olhos do mundo, ela peca ao se colocar como a resposta para um mundo melhor. A resposta para um mundo melhor envolve muito mais esforço do que isso. Não vem ao caso aqui qual foi a minha escolha (apoiar ou não apoiar, eis a questão), mas nessa discussão vi se repetir um padrão que tem me incomodado muito.
Se você assiste o vídeo, compra o kit, cola os cartazes, usa a pulseirinha e se sente uma pessoa melhor e mais evoluídas, você tem que deixar de ser trouxa, ler as outras opiniões, acompanhar os resultados (não só semana que vem, acompanhar de verdade, tipo pelos próximos 100 anos) e cobrar dessas pessoas posturas que você ache condizente com essa maravilhosa promessa que eles fizeram. Você tem o dever de fazer tudo isso, uma vez que com seu dinheiro e seu apoio deu a essas pessoas recursos para prosseguirem.
Agora, se você resolver que discorda e que não quer participar disso porque você é mega questionador e vê com clareza todas as falhas dessa iniciativa e ficar xingando muito no twitter os trouxas, você é pior ainda. Você é parte desse grupo inexplicável de pessoas que nunca acha que nada que ninguém faz é bom o suficiente. Bom mesmo é você que não faz porra nenhuma. Vamos chamar essas pessoas de galera do já fomos mais inteligentes.
A galera do já fomos mais inteligentes acha todas as piadas bobas e superficiais, e sabe apontar imediatamente todos os motivos porque as pessoas que se engajam em alguma coisa estão sendo ingênuas. Não importa se é sobre o Kony, sobre pinheirinho ou sobre ajudar os animais abandonados, eles sabem o que estamos fazendo de errados e quais aspectos não consideramos (e que fazem com que nossos esforços sejam fadados ao fracasso). E principalmente, eles sempre tem conselhos sobre como podíamos melhor utilizar nosso tempo, dinheiro e dedicação. Eu só tenho uma coisa pra dizer pra TODAS essas pessoas: Vai encher o saco da sua mãe meu caro, e pare de perder seu tempo comigo. Me deixa mesmo aqui na minha ignorância idealista de quem vai mudar o mundo, errando, aprendendo e tentando fazer valer minhas opiniões, e fica aí no seu grupinho que tudo vê e tudo sabe.
Discussão e questionamento sempre. Pessimismo e agressividade, acho que vou deixar pra próxima.

Melhores Termos de Busca

Posted in Hahaha on 24/11/2011 by Leo

Comecemos essa nova fase do blog tirando um sarro… Vamos ver as melhores buscas que levaram ao FGL nesses pouco mais de dois anos de trajetória (todas estão como foram escritas originalmente):

– como ler um charuto- Charuto não se lê meu filho. Coisas que você pode ler: livros, revistas, jornais, anúncios, blogs, panfletos…

– bacurinha quente- Esse tava claramente mal intencionado

– porco no rolete pq se faz- Pra comer provavelmente?

– fuma um basido- O que seria um basido?

– fumando 2 charutos- Ao mesmo tempo??

– significado de charuto- Num contexto pornográfico?

– comprar pao com milhares de notas- ??????????????????

– fumar charuto mofado- Na minha época de infância diziam que fumar orégano é que deixava doidão…

– foi gras literário, foei ga literário, fois gras literário, etc- Um sinal claro de que eu preciso fazer cartões de visita.

Novo Foie Gras Literário

Posted in Eu, eu mesma e Leonora, Mau Humor, Tentativas on 24/11/2011 by Leo

Já fazem mais de seis meses que sem qualquer explicação eu parei de postar no blog, porque o que eu estava sentindo naquele momento era tão pessoal que eu não considerei que seria do interesse de ninguém ficar lendo minhas reclamações e meus desabafos.
Na verdade quando eu comecei esse blog eu tinha uma visão bem ingênua (bobinha mesmo) que existia um mundo maravilhoso de opiniões sinceras e valiosas pela “blogsfera” (odeio essa palavra). Aí eu comecei a prestar atenção e ví que não era nada disso, enxerguei que o blog se tornou uma coisa disforme e meio podre. Todo mundo escrevendo meio mal, tirando foto pior ainda e usando isso para se promover e arrancar um troquinho sempre que possível. Nada contra quem ganha a vida com isso, o que me emputeceu mesmo foi ver que o pessoal é tão bobo que “vende” seu espaço baratinho, sucateando esse e outros meios de comunicação. Pra que investir dinheiro em anúncio se é mais barato mandar uns brindes pra meia dúzia por aí e conseguir um monte da tal da mídia “espontânea”, com ênfase nas aspas.
Então a questão pra mim se tornou: como me diferenciar e conseguir interesse sem ter que fazer sorteio, nem puxar saco?? Tendo em vista que eu não quero ganhar dinheiro, nem ganhar coisas de graça e muito menos ficar popular e querida por gente que eu não conheço, decidi me voltar pra uma das coisas na qual eu mais tenho prática: Sinceridade.
Esse é o novo e piorado Foie Gras Literário. Mais ácido, mais mal humorado, mais escroto, mais sem educação, muito mais fiel ao que passa dentro da minha cabeça do que antes.

Pensa pelo lado positivo: Pelo menos eu não vou ficar jogando minhas opiniões na cara de todo mundo no meu Facebook. Se não estiver interessado nelas, é só não acessar mais. Eu prometo que não vou ficar chateada.

Preços dos Restaurantes em São Paulo: Diversos Lados da Questão

Posted in Gastronomia, Mau Humor on 28/03/2011 by Leo

Para quem gosta de comer fora em São Paulo, está cada dia mais difícil se conformar com os preços abusivos das contas dos restaurantes. Depois de ler diversos posts e matérias sobre este assunto, e aproveitando que a São Paulo Restaurant Week está aí, resolví oferecer a vocês a minha reflexão sobre o assunto, onde além do lado consumidor eu vou explorar um pouquinho um outro lado, o lado do garçon/maitre de restaurante, além de conselhos de como se defender. Acho que o que eu tenho pra relatar sobre isso será um pouco desconcertante, mas ajudará a entender um pouco melhor como seu jantarzinho singelo acaba custando cem reais por pessoa sem vinho.
Mesmo considerando os preços altos de pratos, os 10% de serviço (que em muitos lugares já viraram 11, 12 ou 13), a imensa maioria das reclamações é que as contas dos restaurantes chegam magicamente infladas por itens (às vezes não solicitados) como couverts caríssimos, inúmeras garrafas de água, cafézinhos de preço astronomico, e até praticas desonestas como cobrar os 10% em cima de estacionamento e rolha (pra quem não sabe, rolha e estacionamento são serviços, portanto se for cobrado porcentagem em cima você estará pagando duas vezes a mesma coisa).
Faça o teste: vá a um restaurante qualquer e antes de pedir a conta tente calcular o quanto você gastou. Eu garanto pra você que mesmo sem esquecer de calcular o serviço, sua conta certamente estará pelo menos 10 a 20% acima do que você calculou. Falta transparência aos restaurantes, que oferecem amuse-bouches, couverts e repõe garrafas de água sem autorização e sem avisar o preço dos produtos.
Mas vamos aos chocantes fatos (tudo que estou relatando aqui é baseado em minhas experiências e observações, não é fofoca nem especulação): A gerência dos restaurantes pressiona os garçoms a realizarem estes malabarismos para inflar as contas. Se o garçom não deixa sua água na mesa, enche seu copo de dois em dois minutos e acaba por enfiar mais 3 garrafas de água de 5 reais na sua conta, ele faz isso porque o superior lhe cobra este comportamento, sob a alegação de que o aumento das vendas e, consequentemente da porcentagem de serviço aumentará os ganhos de todos. E ressalto que eu não estou dizendo que o funcionário é encorajado a agir assim; isso é uma norma dos restaurantes, com o único e exclusivo objetivo de elevar o valor do couvert médio (couvert médio é a média de quanto se gasta por pessoa em um restaurante).
Tendo ciência destes fatos, perca a vergonha tome atitudes efetivas para manter o controle da situação (e da sua conta):
– Pergunte qual é o valor do couvert e o que está incluso. Se não achar a opção atraente ou necessária recuse.
– Quando oferecida a água, pergunte o valor. Mais tarde, se achar que o garçon está se empolgando com a resposição, peça para deixar a garrafa na mesa.
– Confira também o valor do cafézinho.
– Se algum outro item for oferecido (drink, amuse-bouche, etc) não esqueça de sempre questionar o valor cobrado, e nunca tenha medo de recusar o produto, mesmo que garçom jogue na sua mesa e saia correndo.
– Pedir comida em casa acaba sendo mais barato que sair, pois a taxa de entrega normalmente equivale à de serviço e você se livra do couvert, entrada e café empurrados e ainda pode dispensar as bebidas caríssimas e tomar sua própria água e vinhos. Na região dos jardins, os restaurantes Spot e Ritz tem bons serviços de entrega, que chegam rápido e entregam os pratos no geral em boa forma.
– Vá jantar em um bar! Atualmente existem vários bares com pegada bem gastronômica, que oferecem pratos delicioso e novamente, não adotam o costume de empurrar itens. Só tome cuidado para não se acabar nos drinks e destilados e terminar com o bolso vazio e a cabeça cheia.
– Sempre lembre-se que você é o cliente e sabe o quanto pode gastar. Não é crime nenhum entrar num restaurante caro com um orçamento planejado para experimentar um prato famoso acompanhado por uma garrafinha de água. Você não tem que ser milionário para isso, e nem tem que ter vergonha de não permitir que te explorem. Aliás, ainda que você tenha dinheiro mais que suficiente para pagar pelo combo couvert, água e cafézinho, não precisa fazer isso só porque o garçon quer.
– Por fim, esteja preparado para passar por situações desconfortáveis na mão de alguns atendentes sem educação. Infelizmente isto acontece porque algumas casas se acham mais importante que seus próprios fregueses, que devem se sentir privilegiados por receber a maravilhosa experiência de comer em suas mesas. Nesses casos eu recomendo que faça uma reclamação pelo tratamento, e se a situação se repetir não volte mais.
Essas atitudes ao meu ver, não só evitam surpresas desgradáveis como demonstram para as casas que o público está mais consciente e insatisfeito com este tipo de tratamento. Resta esperar pra ver se o mercado vai se dar conta disso antes que ocorram maiores traumas para os clientes, e problemas para os restaurantes.

Camacho Corojo Maduro 11/18

Posted in Charutos, Resenhas on 04/03/2011 by Leo

Por José De Mauro Filho

Este texto é sobre charutos, portanto se você não tem 18 anos, por favor, deixe de ler. É proibido por lei.
Sei que o fumo causa problemas de saúde. Fumar charuto é uma decisão pessoal minha e leva em conta os riscos advindos dessa decisão. Milhares de pessoas morrem no trânsito, mas não se proíbem os carros. Lembrando que em caso de dúvida os manuais estão na barra lateral.

Um charuto diferente dos cubanos e brasileiros, fabricado em Honduras com bucha, capote e capa corojo amadurecidos tem aroma totalmente próprio, forte na garganta e no nariz, aparência imponente, duas anilhas, uma delas no pé, é uma experiência para lembrar.
O formato, apesar de diferente dos demais torpedos atuais, é o que inicialmente recebeu o nome de torpedo, com 6”, 152mm de comprimento e calibre 54 no ponto mais largo, 48 no mais fino, é uma excelente fumaça de 75 minutos em média.
Vem em caixas bonitas, mas difíceis de acomodar no umidor com 21 charutos, seu preço unitário fica em torno de R$80,00.
Defeitos: cinza mole cai sem aviso e solta escamas, forte desde o início.
Qualidades: Aparência, exotismo, para quem aprecia força e o sabor diferenciado.
Um nota 4 que recomendo.
PS. Corojo é o nome de uma variedade de tabaco utilizado em Cuba para confecção de capas, e que produz charutos de primeira em Honduras.

Guia para um Carnaval em São Paulo

Posted in Gastronomia, Resenhas on 03/03/2011 by Leo

Carnaval, que para muitos é sinônimo de bagunça e putaria, pra mim sempre significou uma oportunidade de relaxar e aproveitar um pouco de calma. Por motivos diversos resolví ficar em São Paulo este ano e utilizar este feriado para colocar a vida em ordem e aproveitar o melhor que a cidade tem pra oferecer. É uma delícia caminhar pelas ruas tranquilas, pegar uma sessão de cinema sem o usual aperto, e é claro, arriscar uma visita aos bares e restaurantes mais disputados.
Para você que também estará por aqui neste feriado, mas com uma perpectiva muito mais pessimista, eu elaborei este pequeno roteiro. Como entendo pouco de cinema, artes ou arquitetura, vou me ater a recomendar alguns de meus restaurantes e bares favoritos.

Começo minha seleção carnavalesca com os normalmente lotados:

Veloso- Rua Conceição Veloso, 56- 55720254
Funcionamento: 04/03- 17h30 às 24h30 05/03-12h45 às 24h30 06/03- 16h às 23h 07/03- 17h30 às 24h30 08/03-17h30 às 24h30 09/03- FECHADO
Bar famoso por suas incríveis coxinhas e caipirinhas, fica numa esquina tranquila com cara de cidade do interior. Vale a pena aproveitar o carnaval porque normalmente o lugar tem horas de espera por uma de suas poucas mesas.

Mocotó- Av. Nossa Senhora do Loreto, 1100- 29513056
Funcionamento: 04/03-12h às 23h 05/03-12h às 23h 06/03-12h às17h 07/03- 12h às 23h 08/03-12h às 17h 09/03- 12h às 23h
O longo feriado de carnaval é uma boa oportunidade para atravessar a cidade com calma e se deliciar com a culinária sertaneja e com a simpatia dos funcionários do Mocotó, onde até a espera (normalmente longa) é uma delicia.

Arturito- R. Artur de Azevedo, 542- 30634951
Funcionamento: 04/03- 19h às 24h30 05/03- 19h às 24h30 06/03- FECHADO 07/03- 19h às 24h 08/03- FECHADO 09/03- 19h às 24h
Aproveite a calmaria do feriado para driblar a espera quilométrica e conseguir uma mesa para desfrutar a maravilhosa cozinha de Paola Caroselha, mas prepare o bolso pois o lugar não é dos mais baratos. Se tiver a oportunidade vale muito a pena. Não deixe de provar: entradinha de linguiça caseira com batatas e mostarda e a mousse de chocolate acompanhada de shortbread deliciosamente salgadinho.

Valadares- R. Faustolo, 463- 38626167
Funcionamento: 04/03- 10h ás 24h30 05/03- 10h ás 24h30 06/03- FECHADO 07/03- 10h ás 24h30 08/03- FECHADO 09/03- 10h ás 24h30
Boteco tradicionalíssimo da Lapa, que ficou famoso por seus petiscos exóticos (entre eles testículos de galo e boi e rã empanada), tem cerveja de garrafa sempre gelada e um delicioso caju amigo em uma atmosfera autêntica que faz os botecos de grife perderem a graça.

Listo abaixo também alguns locais que estão sempre abertos, em todos os feriados. Todos os feriados?? Sim, todos. Essa é uma das maravilhas de São Paulo, meus caros….

O’Malley’s- Al Itu, 1529- 30860780
Funcionamento: Todos os dias, das 12h até o final da noite.
Primeiro de tudo preciso dizer que não acredito nessa coisa de até o último cliente, mas posso garantir que o O’Malley’s fica aberto pelo menos até umas 3 da manhã durante a semana e umas 4 no fim de semana, então é uma boa opção para quem costuma sair dos botecos e quer dar uma esticada. O esquema é de pub, com diversos chopps e cervejas importados e um cardápio repleto pratos típicos ingleses e sanduíches bem executados. Nas noites em que há musica ao vivo é cobrada entrada, que varia de noite pra noite.

Emiliano- R. Oscar Freire, 384- 30684399
Funcionamento:
segunda a sexta- 12h às 15h e 19h às 24h.
sábado e domingo- 11h às 16h e 19h às 24h.
Café da manhã: segunda a domingo: 6h às 11h.
Com Menu dividido entre café da manhã, almoço e jantar (servido nos respectivos horários) assinado pelo chef José Baratino, o Emiliano é sempre garantia de um ambiente charmoso, pratos inventivos e muito bem executados e um serviço impecável. Aos domingos serve brunch com buffet de saladas e pratos quentes passados na mesa, delicioso e extremamente farto.

Obs.: Eu ía incluir o Pasta e Vino neste trecho, que é 24hs e abre todos os dias, porém justamente nesses dias ele está fechado para reforma…

Agora meu primeiro destaque, pela sua localização interessante(além da qualidade inegável do bar, é claro):

Bar da Dona Onça- Av. Ipiranga, 200- 32572016
Funcionamento: 04/03- 12h às 24h 05/03- 12h às 24h 06/03- 12h à 17h 07/03- 12h às 23h 08/03-12h às 23h 09/03- 12h às 23h
Localizado no térreo do Copan, o charmoso bar da Chef Janaína Rueda tem pratos criativos e deliciosos. Aproveite a visita para dar um passeio pela região, um dos símbolos de São Paulo por contrastar glamour e decadência, e quem sabe uma passada no Piano Bar do Terraço Itália para o primeiro drink. Mas depois de apreciar a vista corra logo para o Dona Onça, que vale muito mais a pena!!

Depois deste, acrescento a essa muito pessoal lista um local que na verdade estará fechado no carnaval, mas que poderá propocionar um conforto na quarta-feira de cinzas quando tivermos de voltar para o trabalho:

La Vie em Douce- R. da Consolação, 3161- 30887172
Funcionamento: 04/03- 10h30 às 19h 05/03,06/03,07/03,08/03- FECHADO 09/03- 10h30 às 19h
Minha doceria preferida. Além dos já consagrados doces vintage e cupcakes, Carole Crema sempre incrementa o cardápio com novidades interessantes. Passe lá antes de ir pro trabalho, coma um brigadeiro e se conforme: o carnaval acabou!!

Quando terminei a lista notei que ficou muito mais pros bares, ainda que de todos eles eu sempre saia mais do que satisfeita com as comidas… Mas é carnaval, não é minha gente??? Eu certamente poderei ser encontrada por estes lugares, mas ainda estou buscando uma novidade para animar ainda mais meu carnaval. Alguém tem alguma recomendação?? Divida comigo nos comentários!!

Vale reforçar: Todos os horários indicados acima foram obtidos por mim junto aos locais por telefone hoje, mas mesmo assim recomendo que confirmem antes de sair de casa.