Série monstros, parte 1 – Vampiros do Espaço

Não é Crepúsculo nem True Blood. Na verdade nem tem sangue.
Este livro trata de alienigenas encontrados por uma expedição espacial que se alimentam de energia sugada dos seres humanos. Os vampiros de alma utilizam diversos artifícios para se disfaçarem e tentarem passar despercebidos, e a tarefa de pega-los é dificultada ainda mais por sua capacidade de existirem fora de seus corpos e de possuirem outros corpos.
Desde a pré adolescência tenho verdadeiro fascínio por histórias de vampiro (deixando bem claro mais uma vez que não falo dos vampiros bonzinhos e quase super-heróis da saga crepúsculo), e por todas as questão morais e existenciais nelas envolvidas. Neste livro, particularmente, o autor faz vários paralelos entre o vampirismo e as interações cotidianas do ser humano, do ponto de vista que todas estas envolveriam uma troca de energia onde um dos participantes domina este fluxo. Confuso? Pense naquela sensação de esgotamento que você sente ao passar muito tempo ao lado de algumas pessoas, que parece não ter explicação. Claro que isso é só ficção, e eu não estou sugerindo que você passe a acreditar em sugadores de energia nem nada do tipo, mas eu gosto de pensar em todas essas relações como metáfora para a convivência. Como o vampiro ter que ser convidado para poder entrar na casa de alguém, e muitas vezes se apaixonar por sua vítima. Isso mostra que uma pessoa abusiva sempre tem que ter uma “vitima” conivente, e que o criminoso precisa da sua vítima, a necessidade é a maior força.
No fim de tudo, essas idéias servem pra eu ter aprendido que amor, amizade e coisas boas não podem vir da necessidade, só da vontade, porque pra mim, necessidade corre muito risco de virar medo, desequilíbrio e até violência. Pra mim, amar é precisar cada vez menos e gostar cada vez mais, com getileza e alegria.
Que texto foi esse, que alternou tanto horror com tanta pieguisse? Só mais um fluxo de pensamentos.
Retomando a obra, o livro é ótimo também do ponto de vista da ficção científica, e tem aquele toque de futurismo dos anos 70 que é ultrapassado mas muito charmoso. Não sei se foi publicado novamente, pois este exemplar que eu estou lendo é o mesmo que eu lí a uns 12 anos atrás, pertence ao meu pai e naquela época ela já era bem velhinho. Mas se alguém achar por acaso num sebo pode comprar que eu garanto que vale a pena.

Vampiros do Espaço- Colin Wilson
Editora Círculo do Livro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: